Pulp Rivotril – a catarse violenta de Relatos Selvagens

É difícil não comparar Pulp Fiction com Relatos Selvagens (Relatos Salvajes – 2014), o filme argentino sensação do ano passado. Ambos filmes contam com relatos episódicos que culminam em uma explosão de violência. Mas se por um lado na antologia de Tarantino os personagens vem de um submundo de crime, violento já em sua premissa, as pessoas de Relatos são apenas gente comum que diante do extremo perdem a calma. E fazem isso gloriosamente.

relatos noiva

Escrito e dirigido por Damián Szifrón, o filme conta com seis histórias sem conexão entre si porém alinhavadas sob o mote da agressividade. Relatos Selvagens propõe uma reflexão sobre o que é a raiva, seja ela apresentada em forma bruta por explosões de ira ou em retaliações mais elaboradas. A antologia faz questão de atestar: seus personagens jamais perdem a cabeça. Fugindo do consenso simplista que associa raiva à instabilidade psíquica, aqui ela é mostrada como uma resposta orgânica de emoções tão intensas que extrapolam as regras de civilidade. Resposta essa com inclinação para a tragédia, naturalmente, mas nem por isso menos racional.

Funcionando como um manifesto da impossibilidade de vida gentil na suposta “civilização”, o filme levanta o fino véu de bons modos que cobre a grande tensão da vida na cidade. Depressivos, estressados, desempregados, traídos e frustrados, só resta aos personagens de Relatos Selvagens explodirem em cólera. Encurralados, retornam à sua origem como humanos e percebem que, ironicamente, a única coisa que faz sentido é abraçar o caos.

O humor corrosivo do longa (certamente o mais engraçado do ano passado), o absurdo que brota do cotidiano, o perder da compostura dão as dicas: a obra é assinada pela El Deseo, a lasciva produtora dos irmãos Almodóvar. O filme pode até não ser mais uma jóia na filmografia do mestre espanhol, mas fica bastante claro que ele deu os seus pitacos, especialmente na primeira cena do avião, bastante Almodovariana.

O filme está concorrendo ao Oscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro e pode até não ganhar, mas pode se dar a luxo de fazer mais sucesso que seus pares. O longa estreou por aqui em Outubro e ainda pode ser visto em algumas sessões espalhadas pela cidade. Para quem ainda não viu, fica aí a dica.

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , , , , ,

Um pensamento sobre “Pulp Rivotril – a catarse violenta de Relatos Selvagens

  1. […] Relatos Selvagens – indicado à Melhor Filme Estrangeiro […]

O que você pensa sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: