Ida – a noviça jamais rebelde

“Ida” (2013) conta a história de Anna, uma noviça que antes de prestar seus votos e tornar-se definitivamente freira, sai pela primeira vez do convento para encontrar sua única familiar, sua tia Wanda (Agata Kulesza). Ao entrar pela primeira vez no mundo, Anna descobre que na verdade nasceu Ida e parte em uma road-trip com sua tia em busca de um passado em comum mas a viagem, como de praxe, logo se revela em uma busca de Anna por ela mesma.

ida 2

O filme segue silencioso, em preto e branco, e em sua serenidade ganha cores para desenhar emoções complexas que nos são transmitidas pelos expressivos olhos de sua protagonista, talentosamente interpretada por Agata Trzebuchowska. Logo percebemos que Anna, apesar de nunca ter de fato “vivido” muita coisa, se conhece bem. Sabe quem é e mesmo na sua falta de experiência tem um bonito conhecimento de que sua vida é simples. Motivada pela convivência com sua tia e pelo desejo de conhecê-la melhor, Anna se sente disposta a mais tarde fazer uma breve coletânea de lembranças antes de selar o seu destino.

Ida, with Dawid Ogrodnik and Agata Trzebuchowska

O curioso do filme é que apesar de nós espectadores não termos certeza de como que a história vai terminar, fica bastante claro que Anna tem o controle da situação o tempo todo. Ao contrário do que se acreditaria, ela não é ingênua. Suas emoções podem até ser o gatilho que motiva alguns de seus passos, mas isso não significa que eles não tenham sido frutos de bastante consciência e cálculo. Ida não é motivo de pena, de chacota ou de frustração. Ela tem controle de sua vida mas também permite-se admitir que talvez tenha sido muito rígida consigo mesma.

Sem precisar fazer muito barulho ou confusão, o filme (dirigido e co-escrito por Pawel Pawlikowski) eficientemente trabalha com emoções muito universais, muito humanas, e as retrata com bastante suavidade e beleza, comovendo a quem assiste. Um filme que não vai ser apreciado por todos, porém que merece ser visto.

Anúncios
Etiquetado , , , , , ,

3 pensamentos sobre “Ida – a noviça jamais rebelde

  1. claquetegirls disse:

    Estou curiosa para assistir esse filme.

    • Gabriela N. disse:

      Eu gostei bastante. É um filme silencioso, contemplativo… pode ter bastante gente que vá achar o filme parado/chato; mas eu não achei nada disso, achei bem bonito!

  2. […] Ida – indicado à Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Fotografia (Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski) […]

O que você pensa sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: