Arquivo mensal: abril 2015

Chappie – o robozinho gangsta

Neill Blomkamp impressionou a todos em sua estreia com”Distrito 9″ (2009), onde provou ter herdado o talento dos grandes mestres da ficção científica de usar o fantástico não só como terreno fértil de criação, mas também para alegorizar problemas do presente. Depois de ter derrapado com seu segundo longa, “Elysium” (2013), que apesar de partir de uma boa ideia não conseguiu funcionar muito bem, o diretor nos entrega seu terceiro filme, “Chappie” (2015).

chappie 1

Mais uma vez somos levados a um ambiente urbano distópico que parece ser marca registrada do diretor. Os alienígenas de distrito 9 agora dão lugar às máquinas, e a busca pela inteligência artificial (e as imprevisíveis consequências de sua obtenção) tira o foco do conflito social e revela que agora Blomkamp está interessado em falar sobre o homem e aquilo que o define como tal.

Continuar lendo

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , ,

Vingadores: A Era de Ultron

Na estréia do primeiro filme dos Vingadores já se sabia que o projeto era ambicioso. O que ninguém estava esperando, no entanto, era o resultado apoteótico dessa combinação de heróis. Com grande satisfação, o público percebeu que os filmes da Marvel tinham pretensões muito maiores do que apenas divertir, eles estavam ali para criar nos cinemas um universo paralelo de maravilhas que antes era restrito às comic shops.

avengers

Com instituições e personagens estabelecidos, coube à fase seguinte mostrar que nem tudo era tão bom quanto parecia. Em quem confiar quando no espaço existe uma ameaça praticamente invencível e a instituição que deveria proteger o planeta foi desmantelada após ter sido provada como corrupta?

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

“Vício Inerente” – o noir hippie de Paul Thomas Anderson

De vez em quando aparece algum filme que nos lembra do que o Cinema pode fazer. Em seu novo longa, Paul Thomas Anderson usa toda a sua experiência para transformar “Vício Inerente” (Inherent Vice – 2014) em um ótimo exemplo de sua arte.

inherent vice

O filme é daqueles onde tudo funciona bem. Figurinos, cenários e trilha sonora servem de pano de fundo para atuações excelentes que darão vida à história de Doc (Joaquin Phoenix), um investigador hippie e maconheiro que deve desvendar um caso nesse noir roots.

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , ,