Arquivo da tag: Drama

O Homem Irracional

Em “O Homem Irracional” (Irrational Man – 2015) Woody Allen mais uma vez aborda seus habituais assuntos. Temos o homem solitário e arrogante de meia idade que encontra alguma mocinha ingênua para venerá-lo e lembrá-lo do quanto ele é “interessante”. Temos também a sociedade burguesa que utiliza seu academicismo e suposta erudição para justificar a sua existência ociosa e entediante. E também, porque não, uma série de situações improváveis para seus personagens terem oportunidade de revelarem o quanto são boçais e pedantes.

irrational 3

Continuar lendo

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , , , , ,

Perdido em Marte – um sci-fi que não é sobre adolescentes tentando derrubar governos

Numa época onde a cultura hipster insiste em dominar o mainstream com a sua noção artificial de passado, Ridley Scott conseguiu fazer o filme genuinamente mais retrô dos últimos tempos. Embalado por sucessos da era disco, “Perdido em Marte” (The Martian – 2015) é um divertido blockbuster pop.

martian 2

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A crítica pungente (mas com carinho) de “Que Horas Ela Volta”

Não resta dúvidas de que o queridinho do cinema nacional nesse ano é “Que Horas Ela Volta?” (2015).  E o cargo é mais do que merecido. O longa de Anna Muylaert é um afetuoso – e nem por isso menos poderoso – retrato do estranho Downton Abbey brasileiro que acontece entre patrões e suas empregadas.

ela volta 2

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

O crepúsculo de Mr. Holmes

Parece que nesse ano a indústria do cinema está determinada a aterrorizar as pessoas inteligentes. Depois de “Still Alice“, agora chega “Mr. Holmes” (2015)  para garantir que os intelectuais não se sintam mais seguros no refúgio de suas mentes.

holmes 1

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , ,

A realidade embalada em surrealismo de “Frank”

Sob uma observação descuidada e superfícial, “Frank” (2014) parece fadado ao nonsense. Isso porque somos apresentados ao universo dos personagens através da perspectiva de Jon (Domhnall Gleeson), um “indivíduo normal” que se vê imerso no hospício que é a banda Soronprfbs.

frank 4

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Cinco motivos para ver (ou não) “O Melhor de Mim”

Todo ano chega aquele momento em que você vai ao cinema e se depara com mais um longa adaptado dos romances de Nicholas Sparks, o que por si só costuma ser suficiente para determinar se você assistirá ou não ao filme. Pensando nisso e nos sentimentos completamente opostos que as produções relacionadas ao autor despertam, escrevi o post de hoje num formato diferente. Então vamos aos cinco motivos para ver ou para fugir de “O Melhor de Mim” (The Best of Me – 2014).

best of me

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , ,

A fantasia pseudo-científica de Adaline

“A Incrível História de Adaline” (The Age of Adaline – 2015) é daqueles filmes que chegam em um pacote lindo… mas sem nada dentro. A parte técnica do filme, no que diz respeito à fotografia, figurinos e trilha sonora cria um espetáculo muito bonito, mas está fadada a embalar um roteiro que fracassa.

adaline 4

O filme conta a história de Adaline (interpretada sem muito brilho por Blake Lively), uma mulher que, em determinado momento de sua vida, para de envelhecer e se vê obrigada a testemunhar as mudanças nas pessoas e no mundo enquanto ela permanece a mesma. A premissa é bastante interessante, mas em vez de o roteiro se entregar à sua natureza fantástica, o filme cometeu o grave erro de tentar explicar o inexplicável.

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , ,

O Amor é Estranho

O título de “O Amor é Estranho” (Love is Strange – 2014) soa equivocado por se tratar de um filme onde as regras da sociedade prendem as pessoas em situações, essas sim estranhas à elas, enquanto o amor se manifesta com clareza como a única coisa que pode ser tida como certa.

O longa conta a história de Ben (John Lithgow) e George (Alfred Molina), que após viverem juntos por quase 40 anos decidem se casar para oficializar sua união e celebrar o amor que existe entre eles com os amigos que vivem à sua volta.

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , ,

O filme do E.T. e aqueles momentos simples que mudam completamente nossas vidas

De molho aqui em casa, perdi as estreia do novo “Poltergeist” e de “A Incrível História de Adaline” (que devo ver assim que possível, então podem aguardar essas postagens aqui no blog). Mas para não deixar o site parado e também porque minha mente nunca se afasta muito do cinema, resolvi escrever sobre o filme que talvez não seja o meu grande favorito, mas com certeza é o mais importante para mim : “E.T. – O Extraterrestre” (E.T. the Extra-Terrestrial – 1982).  Ou seja, talvez essa postagem acabe soando pessoal demais e destoe um pouco do padrão de objetividade que tento manter aqui na página…

et 1

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , ,

Chappie – o robozinho gangsta

Neill Blomkamp impressionou a todos em sua estreia com”Distrito 9″ (2009), onde provou ter herdado o talento dos grandes mestres da ficção científica de usar o fantástico não só como terreno fértil de criação, mas também para alegorizar problemas do presente. Depois de ter derrapado com seu segundo longa, “Elysium” (2013), que apesar de partir de uma boa ideia não conseguiu funcionar muito bem, o diretor nos entrega seu terceiro filme, “Chappie” (2015).

chappie 1

Mais uma vez somos levados a um ambiente urbano distópico que parece ser marca registrada do diretor. Os alienígenas de distrito 9 agora dão lugar às máquinas, e a busca pela inteligência artificial (e as imprevisíveis consequências de sua obtenção) tira o foco do conflito social e revela que agora Blomkamp está interessado em falar sobre o homem e aquilo que o define como tal.

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , ,