Arquivo da tag: Dramédia

A realidade embalada em surrealismo de “Frank”

Sob uma observação descuidada e superfícial, “Frank” (2014) parece fadado ao nonsense. Isso porque somos apresentados ao universo dos personagens através da perspectiva de Jon (Domhnall Gleeson), um “indivíduo normal” que se vê imerso no hospício que é a banda Soronprfbs.

frank 4

Continuar lendo

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , ,

“Vício Inerente” – o noir hippie de Paul Thomas Anderson

De vez em quando aparece algum filme que nos lembra do que o Cinema pode fazer. Em seu novo longa, Paul Thomas Anderson usa toda a sua experiência para transformar “Vício Inerente” (Inherent Vice – 2014) em um ótimo exemplo de sua arte.

inherent vice

O filme é daqueles onde tudo funciona bem. Figurinos, cenários e trilha sonora servem de pano de fundo para atuações excelentes que darão vida à história de Doc (Joaquin Phoenix), um investigador hippie e maconheiro que deve desvendar um caso nesse noir roots.

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Birdman: a evidente virtude de um trabalho bem feito

Pode até ser que a imprensa geral tenha caído em cima de Boyhood e de sua filmagem espalhada ao longo de 12 anos, mas na comunidade cinéfila as atenções estavam todas voltadas para “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)” (Birdman – 2014). Na verdade, os filmes do mexicano Alejandro González Iñárritu – que também dirigiu os famosos Babel e Biutiful, por exemplo – sempre recebem atenção por sua grande qualidade técnica, atenção essa que “Birdman” lindamente decidiu honrar.

birdman 3

Em seu melhor (dentre outros bons) filme até agora, Iñárritu nos insere dentro de um teatro e nos conduz com sua câmera flutuante para seguirmos alguma das figuras que ali habitam, uma de cada vez, para desvendarmos a história que vai se desenrolar ao longo das duas horas seguintes.

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , ,

Pulp Rivotril – a catarse violenta de Relatos Selvagens

É difícil não comparar Pulp Fiction com Relatos Selvagens (Relatos Salvajes – 2014), o filme argentino sensação do ano passado. Ambos filmes contam com relatos episódicos que culminam em uma explosão de violência. Mas se por um lado na antologia de Tarantino os personagens vem de um submundo de crime, violento já em sua premissa, as pessoas de Relatos são apenas gente comum que diante do extremo perdem a calma. E fazem isso gloriosamente.

relatos noiva

Escrito e dirigido por Damián Szifrón, o filme conta com seis histórias sem conexão entre si porém alinhavadas sob o mote da agressividade. Relatos Selvagens propõe uma reflexão sobre o que é a raiva, seja ela apresentada em forma bruta por explosões de ira ou em retaliações mais elaboradas. A antologia faz questão de atestar: seus personagens jamais perdem a cabeça. Fugindo do consenso simplista que associa raiva à instabilidade psíquica, aqui ela é mostrada como uma resposta orgânica de emoções tão intensas que extrapolam as regras de civilidade. Resposta essa com inclinação para a tragédia, naturalmente, mas nem por isso menos racional.

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , ,